C-Calcutá( Kolkata)

Bonde histórico e patrimonial de Calcutá e que ainda circula pela cidade

Calcutá (agora kolkata) é uma das quatro metrópoles originais da Índia e está localizada no leste do país. É a capital do estado de Bengala Ocidental (o que era Bengala Oriental é hoje Bangladesh) e possui  14,85 milhões de habitantes.

O rio Ganges torna Calcutá uma cidade portuária, É uma cidade movimentada, cultural e populosa, cheia de personalidade, com uma história longa e complicada, como a maioria das grandes metrópoles.

A associação da cidade com o chá surgiu por ser a capital da British East India Company. Acredita-se que tenha sido um centro próspero antes mesmo dos britânicos. Entretanto, muito de sua história é apenas conhecida a partir da British East India Company. O nome original, Kalikhata, foi anglicizado para Calcutá (e mais tarde, em 2001, renomeado para Kolkata).

Tropas Britânicas em Calcutá

Os britânicos chegaram no final do século 17 e, em 1772, ela se tornou a capital da Índia britânica (até 1911, quando Delhi se tornou a capital).

A localização de Calcutá, próxima a Darjeeling e Assam, provou ser crucial para o comércio do chá, pois era a porta de entrada para os estados do leste da Índia. Calcutá se tornou – e continua sendo – o centro do comércio de chá na Índia.

Colinas Kumaon

Calcutá desempenha um papel significativo na história do chá indiano. As mudas de chá do botânico Robert Fortune chegaram pela primeira vez no Jardim Botânico de Calcutá, antes de serem enviadas para as colinas Kumaon para testar sua viabilidade. Foi também em 1851, que Robert Fortune chegou em Calcutá pelo navio a vapor Lady Mary Wood , com sua carga de mais mudas de chá e fabricantes chineses de chá.

O primeiro leilão de chá na Índia foi realizado em Calcutá em 27 de dezembro de 1861, sob as instruções da R Thomas & Company (que mais tarde se tornou J Thomas and Co, os mais antigos leiloeiros de chá do mundo). O segundo leilão ocorreu em 19 de fevereiro de 1862, pela W Moran & Co e, no mesmo mês, um terceiro leilão foi realizado. Os leilões tornaram-se uma característica regular do comércio.

Porto Calcuta sec.19
Ponte sobre o rio Hooghly – sec. 19
Calcutá – 1930-1940

A Calcutta Tea Traders Association foi formada em 15 de setembro de 1886, para promover o interesse comum dos vendedores, compradores e corretores de chá no mercado de Calcutá. A associação tinha 41 membros quando foi formada. Em 1961, para comemorar os 100 anos dos Leilões de Chá de Calcutá, foi planejado um novo prédio. O primeiro ministro Jawaharlal Nehru lançou a pedra fundamental do edifício conhecido como Casa Nilhat em Calcutá. Ainda hoje, várias empresas proprietárias dos jardins de chá de Darjeeling estão sediadas em Calcutá.

Se Calcutá foi uma cidade notável, seus cidadãos não ficaram muito atrás. Conhecida por seu poder cultural e intelectual, Calcutá já foi o lar de grandes cineastas, autores, cantores e atores. Rabindranath Tagore, que recebeu o Prêmio Nobel de Literatura em 1913. Satyajit Ray, o famoso cineasta, recebeu o Oscar honorário pelo conjunto de sua obra em 1991. Vários outros escritores e músicos emergiram de Calcutá como os economistas ganhadores do Nobel, Amartya Sen e Abhijit Banerjee.

Calcutá floresceu no século 20, mas com a partição da Índia na independência, para Índia e Paquistão, trouxe vários refugiados de Bengala Oriental (que se tornou Paquistão Oriental e eventualmente Bangladesh). Ao longo das décadas de 50, 60 e 70, as pessoas migraram para a cidade. Em 1971, a Índia apoiou a criação de Bangladesh, indo para a guerra com o Paquistão (Bangladesh fica a menos de 300 km de Calcutá). Nessa época, havia também um grande movimento político, conhecido como movimento Naxalita, que estava em andamento. Tudo começou com uma revolta de camponeses contra os proprietários de terras e se viu confrontos violentos entre os manifestantes e a polícia em Calcutá. Por fim, Calcutá perdeu grande parte de sua indústria à medida que as empresas iam para outras cidades indianas mais progressistas.

A influência britânica em Calcutá permaneceu por muito tempo. Mesmo após a independência da Índia, a maioria das plantações de chá ainda eram propriedade de empresas britânicas e continuavam a ter plantadores britânicos administrando-as. Foi apenas na década de 70 que a maioria deles deixou a Índia.

Calcutá também abriga a única Chinatown da Índia. No final dos anos 1700, um dos primeiros chineses a chegarem aqui foi Tong Achew e ele recebeu um terreno para abrir e administrar uma fábrica de açúcar. Parece ter havido uma onda de migração quando os chineses chegaram no século XVIII. Eles estavam aparentemente envolvidos com curtimento de couro, odontologia e, claro, comida. Com o passar dos anos, a comunidade cresceu, mas começou a diminuir em número à medida que a nova geração de chineses emigrou. Ainda assim, Chinatown faz parte da paisagem e as manhãs de domingo de Calcutá. O café da manhã no Tiretta Bazaar é famoso pelas opções de comida chinesa que oferece, e é visto como outro destino icônico para os visitantes.

Mas o que realmente descreve Calcutá é sua história e uma forte cultura do chá. Os fornecedores estocam os melhores Darjeelings, misturando-os para os clientes. Os bengalis apreciam o chá Darjeeling, combinando-o com salgadinhos saborosos como muni (arroz tufado), singaras (ou samosas que são bolinhos fritos recheados de batata) e com conversa.
Se há chá em Calcutá, imagine a conversa. Sempre foi assim. Os bengalis a chamam de adda, uma palavra que não tem tradução direta para o inglês. Pode ser descrito de certa forma como uma reunião de amigos durante um chá e lanches para uma conversa e bate-papo.

Muri
Singara
Adda

Na década de 1920, havia “cabines de chá” onde as pessoas (principalmente homens) se reuniam para o chá e lanches e discussões em voz alta. Na verdade, uma das “cabines” pré-independência funciona até hoje. A “Cabine Favorita” foi inaugurada em 1918 na College Street. Foi frequentada por lutadores pela liberdade, poetas e autores e hoje funciona com poucas coisas que mudaram no tempo.

Poucas coisas parecem ter mudado ao longo dos anos. Os bondes ainda andam devagar, as multidões continuam lotando a cidade e seus mercados. Talvez uma grande mudança é que os leilões de chá mudaram para leilões eletrônicos, mas o chá em si continua a fazer parte da cultura bengali, lembrando aos seus cidadãos agitados que é hora da adda.

More from Aravinda Anantharaman
G-Gengibre
O rizoma ou raiz de gengibre é amplamente utilizado na culinária do...
Read More
0 replies on “C-Calcutá( Kolkata)”