Chás Artesanais Indianos

Tamil Nadu - Nilgiris -India

O chá indiano traz à mente a ideia de que produzimos muito chá preto, chá CTC perfeito para fazer chai e, claro, Darjeeling premium. Contudo, tem havido um movimento silencioso em direção a uma nova maneira de produzir chá, que trata de reviver tradições, de focar na qualidade em vez de volume, em artesanato e técnicas em vez de produção em massa e mecanizada, em comunidade em vez de mercadoria.
Aqui estão alguns dos chás artesanais que estamos vendo na Índia:
Há uma aldeia chamada T Manihatty nos Nilgiris. Os visitantes dificilmente podem ignorar a fábrica de telhado vermelho que leva o nome de Tea Studio. Um atelier artesanal, faz chás ortodoxos por encomenda. O estúdio é dirigido por mulheres da aldeia lideradas por Muskan Khanna, cujo pai é um veterano do chá. As folhas de chá, cuidadosamente selecionadas, são compradas dos aldeões.
O Tea Studio faz chás pretos e verdes, mas o que me chama a atenção é o Nilgiri Bamboo, a inovação com patente pendente da Muskan, que soa semelhante ao kukicha japonês. Feito com galhos e talos de chá, não tem folhas e tem cheiro de torrado.

Floresta em Assam – India

Em Assam, uma jovem empresa de chá chamada The Tea Leaf Theory tem trabalhado com pequenos agricultores para produzir um chá excepcionalmente saboroso. O chá Latumoni Royal Tippy Gold é um dos chás mais perfumados que já provei. O licor é clássico Assam, maltado e cheio de sabor. A história de Latumoni remonta à época em que Sailen P. se juntou a seu pai Ramesh para cultivar chá em 2 acres. Quando o preço das folhas de chá caiu de ₹18 ( 0,24 dólares) por quilo no início da década de 1990 para ₹ 2 (0,027 dólares) por quilo em 1999-2000, Sailen começou a explorar outras vias de receita. Iniciado na agricultura orgânica, em 2010, ele percebeu que não precisava de pesticidas ou fertilizantes, ou de maquinários caros, para a produção de chá.

Outro chá da empresa é de Mandal Gaon, em Darjeeling. Buddha Singh é um pequeno produtor de chá com pouco mais de 8.000 arbustos. Por muito tempo, seus clientes eram fábricas. Em 2016, ele construiu uma micro fábrica de chá que dirige com seus filhos e quatro trabalhadores. Hoje, ele faz pequenos lotes de chás artesanais que não estão disponíveis no varejo, mas são vendidos online e têm um nicho de seguidores.

Arunachai Pradesh

Mais a leste, no estado de Arunachal Pradesh, a propriedade Donyi Polo produz alguns dos chás mais caros da Índia, o Golden Needles. É um chá raro com delicados brotos em forma de agulha e um aroma de rosa, uma indulgência da qual nenhum amante de chá se intimida. O Donyi Polo fica no distrito de East Siang, perto da fronteira com a China. O jardim fica na margem direita do rio Siang, que começa no Tibete como Yarlung Tsangpo e entra em Assam como Brahmaputra. O Santuário de Vida Selvagem de Daying Ering faz fronteira com a propriedade. Até recentemente, era necessário pegar uma balsa para chegar a Donyi Polo. Agora há uma estrada.
Donyi Polo significa sol e lua, e esta é a religião praticada pelos povos indígenas locais. A propriedade foi iniciada pela mãe de Apang, Yadap, em 1985. O sucesso da propriedade vem de uma combinação de fatores, o solo aluvial rico em carbono, os ventos frios do Himalaia e o amor da equipe pela inovação. O Donyi Polo Tea Artisan Center é administrado por mulheres da propriedade, que agora são especialistas em fazer chás especiais. O centro faz uma variedade de chás como o CTC, preto e verde ortodoxo, mas também sencha japonês, peônia branca, oolong.…

Manipur

Ainda no nordeste indiano, em 2017 em Manipur, três irmãs iniciaram a Forest Pick. Aijulie, Jemshe e Julie Gangte com o apoio do irmão, Boi, passaram a produzir chá selvagem para o mercado consumidor. Em Manipur, o chá selvagem costuma ser bebido no lugar da água. É chamado de “thing pi” ou “grand tree”.
O trio trabalha com os aldeões em sua Churachandpur nativa. Não é fácil arrancar as folhas das árvores selvagens, pois crescem tanto quanto 3=4 metros e até 6-9 metros na floresta profunda. Precisa de pessoas que conheçam a região e possam fazer a caminhada. Essas folhas também são maiores do que as típicas folhas de chá. Para fazer o chá, a equipe usa bandejas de bambu de fabricação local ou de origem local, aquecedores a carvão etc. As folhas são fritas, torradas e secas. Seu chá preto defumado é bastante popular, assim como seu chá branco selvagem.

Os chás artesanais podem custar mais do que os chás do mercado de massa (venda em alto volume), podem não vir com certificações (que são caras) ou como marcas famosas, mas estes chás de pequeno volume e de alta qualidade trazem uma conexão direta com o fabricante de chá, razão pela qual tornam-se tão especiais.

Tradução livre por Elizeth R.S.v.d.Vorst

More from Aravinda Anantharaman
B-BLACK TEA – Chás pretos Indianos
A Índia é o maior produtor de chá preto do mundo e...
Read More
0 replies on “Chás Artesanais Indianos”