Trens e Chá

Na Índia, o chá e os trens compartilham uma conexão próxima. Em seu livro, “The Great Indian Railways: A Cultural Biography”, o autor Arup Chatterjee descreve como a Indian Tea Association, criada em 1881, estava na mesma década da expansão ferroviária. A Ferrovia do Himalaia de Darjeeling, na verdade, foi a primeira ferrovia de montanha na Índia. Ela foi construída para transportar chá de Darjeeling e do vale de Assam. A linha férrea entre Siliguri e Kurseong foi inaugurada em 23 de agosto de 1880. Nos seis anos seguintes, foi estendida para Darjeeling Bazaar. Hoje, nós a conhecemos como o “Toy Train” de Darjeeling.

A linha férrea para os Nilgiris foi proposta já na década de 1850, mas a construção só começou em 1891. Foi concluída em 1908 e liga estação ferroviária de Metupalayam, no sopé das montanhas de Nilgiris, com Coonoor e Ooty, as duas principais cidades dos Nilgiris. Também chamado de Trem de Brinquedo, oferece vistas pitorescas das montanhas azuis e é muito procurado pelos turistas.

O que há de especial em Mettupalayam?
A Ferrovia da Montanha Nilgiri, que liga a estação ferroviária de Mettupalayam com Udagamandalam (Ooty), é um Patrimônio Mundial da UNESCO. Nilgiri Express conecta Mettupalayam à capital Chennai via Coimbatore. Mettupalayam está situado na base das colinas de Nilgiri e, portanto, é o ponto de partida para as estradas de Ghat.

Estação de trem em Mettupalayam

As ferrovias Darjeeling e Nilgiri são agora Patrimônio Mundial da Unesco.

Em Assam, a linha férrea chegou em 1880, para transportar chá e carvão de Makum para Dibrugarh. Outra linha, ligando Assam ao porto de Chittagong (agora Bangladesh) via Barak Valley foi inaugurada em 1903.

O estado de Kerala conseguiu o primeiro monotrilho da Índia em Munnar, em 1902, também para transportar chá e outras commodities. Esse trilho tinha uma pequena roda na pista, com uma roda de balanceamento maior na estrada, e era puxado por bois. O chá viajou de Munnar até a Estação Top por este monotrilho, depois desceu por um teleférico até a “Estação Bottom” em Kottagudi e de lá por um carrinho para o porto de Tuticorin. Aliás, o escritório regional da Kannan Devan Hills Plantation (KDPH) está alojado no que costumava ser a estação ferroviária de Munnar.

Kannan Devan Hills Plantation

Mas o que fez esta associação do chá com trens resultar em uma memória nacional tão forte? Tanto Chatterjee quanto Lizzie Collingham (autora de Curry) escrevem sobre a campanha ferroviária do ITA em 1901 para promover o consumo de chá. Os empreiteiros receberam chá e chaleiras para fazer e servir chá nos principais cruzamentos – principalmente em Punjab, Bengala e na Província da Fronteira Noroeste. Eles foram instruídos sobre como preparar o chá. Cartazes com receitas de chá foram pendurados nas paredes da estação ferroviária. A estação ferroviária tornou-se o lugar para tomar uma boa xícara de chá. Foi uma jogada de marketing incrivelmente inteligente e popularizou o consumo de chá, mas também selou a relação entre chá e trens para muitos indianos, tornando-se uma saga de romance duradouro e nostalgia feliz.

Ainda hoje, nenhuma viagem de trem na Índia está completa sem uma xícara ou kulhad de chai.

Kullad com chai

Edição e Tradução livre : Elizeth R.S. v.d. Vorst

More from Aravinda Anantharaman
A- ASSAM – O chá de Assam
O chá de Assam para os amantes do chá, resulta em uma...
Read More
0 replies on “Trens e Chá”